segunda-feira, 23 de abril de 2018

POEMA BAIXINHA TERRINHA QUERIDA



Baixinha terra querida
onde vivi minha infância,
Terra de gente boa
no meu tempo de criança,
bons momentos vividos
guardo sempre na lembrança.

Saudades do tempo de infância
e dos amigos da escola,
Das nossas brincadeiras
e do jogo de bola,
Onde brincávamos muito
no intervalo da escola.

Minha Baixa do meio
onde nasci e me criei,
Fui embora de lá
mas nunca esquecerei,
Dos momentos vividos lá
para sempre lembrarei.

Saudades dos velhos amigos
que outrora lá deixei,
Uns ainda moram por la
outros por andam não sei,
Só sei que algum dia
logo os encontrarei.

Hoje não me sinto a vontade
na terra onde nasci,
É tanta gente diferente
que jamais conheci,
Mas tenho certeza
todos amam a terra em que vivi.

Oldair Jose

POEMA O MEU DISTRITO



O meu distrito é lindo de morar
Quando completa oitenta anos
Todo mundo quer visitar.

Minha linda Baixa do Meio
Cidade de sol escaldante
Mas mesmo assim não deixa de ter fauna e a flora abundante.

A minha família toda mora lá
Até parece um ninho de pássaro
Atrás de água e comida, todos vão revoar.

Mas nunca vão esquecer que um dia moraram lá
Nas asas do vento, um dia há de voltar.
Para ver os oitenta anos que Baixa do Meio vai completar.

Autor: Vitor Expedito.

UMA DAS PRIMEIRAS BICICLETAS



O nome desta bicicleta aqui é 73, segundo Luiz desde 1973 ela está nas mãos dele, mas ainda falou que tem outra bicicleta da década de 60 desmontada em casa. 


Segundo Luiz de Pompilha, quando a primeira bicicleta chegou ao distrito, estranharam como sendo um tipo de animal.

CORDEL MINHA TERRINHA



Minha terrinha querida,
Que guardo na lembrança,
O tempo de criança,
Onde nasci e me criei.

Terrinha de muitas riquezas,
Do ciclo do algodão,
Do ciclo do feijão,
Que alimentava através da plantação.

De um povo simples e hospitaleiro,
Terrinha da família,
Da sociedade,
Da independência.

Terrinha que não é começo
E também não é fim,
É meio por isto que te chamam
Terrinha Baixa do Meio.

Manancial de águas vivas,
Rios passam por baixo de ti,
ES navio emergido,
Por isto tu ES exaltado.

Teus filhos te guardam na memoria:
Manoel Ribeiro, Sandoval Mendes, Antônio Epifânio, José de Paiva, Chico de Regina, Antônio Constantino, Manoel Teixeira, Francisco Martins, Miguel Camilo, Luiz Bernardino, Maria da Conceição, Maria Segunda, Francisco Pasqual, João Pedro Filho, Luiz de Pompilha.

A natureza trás lembranças
A aroeira,
As mangueiras,
Os poços de água.

Baixa do Meio das comidas,
Da costela de carneiro,
Da buchada de porco,
Do bolo de cuscuz.

Baixa do Meio minha querida terrinha,
Onde nasci e me criei,
Levar-te-ei na lembrança
Sempre em lugares teus.

Cordelista
Ricardo da Silva Mendes
Baixa do Meio, 22 de outubro de 2017.
As 14hs06mt

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

BAIXA DO MEIO RN

HISTÓRIA
Antes de Guamaré conquistar a emancipação do município de Macau/RN na data de 07 de maio de 1962, Baixa do Meio já existia, visto que, os registros oficiais da  EFOCS (empresa federal de obras contra a seca), data de 26 de outubro de 1935 dado a fundação do distrito. Embora tenhamos esses registros, temos também relatos que nos garante que antes da EFOCS (empresa federal de obras contra a seca) chegar ao distrito em 1935,  por volta de 1930 já havia moradores nesta região. 
O Distrito já era conhecido pelos comerciantes ou comboios que ali passavam transportando Sal e peixes, posto que usavam a estrada que ligava Lages e Pedro Avelino as praias de Guamaré. A EFOCS teve um papel muito importante na vida dos moradores de Baixa do Meio, porque através da iniciativa de trazer água para essa região, foi que atraiu um grande número de pessoas de outras localidades para está localidade.
"Distrito de Baixa do Meio era conhecido como Mato Grande, talvez por haver na época uma grande e vasta quantidade de arvores e animais nativos da região". 

ORIGEM DO NOME
O nome Baixa do Meio teve origem pela sua posição geográfica, visto que localizava-se entre o município de Baixa Verde, hoje João Câmara e a localidade de Baixa do Feijão, atualmente conhecido como Umarizeiro. Portanto, deu-se o nome de Baixa do Meio

ANTIGOS MORADORES
Segundo o registro histórico, os antigos moradores dessa região eram: Manoel Ribeiro (rua com nome em sua homenagem), Sandoval Mendes, Antônio Epifânio, Raimundo Soldado (Um dos primeiros soldados) José de Paiva, Chico Regina, Antônio Constantino, Manoel Teixeira (Construtor da Capela de São Sebastião), Francisca Martins, Miguel Camilo, Luiz Bernadino (Cantador e contador de história), Maria Segunda (Sogra do falecido Ex-prefeito João Pedro Filho), João Pedro Filho (saudoso Ex-prefeito), Francisco Pasqual, Luiz de Pompilha (Um dos proprietários de terras do distrito e lendário), Luiza Mendonça (curadeira), Dionísio Fonseca.

DIFICULDADES
Havia na região bastante dificuldade de se conseguir água, entretanto no ano de 1935, foi executado o plano de perfuração de poços pela IFOCS (empresa federal de obras contra a seca), ao longo da estrada que liga Macau a Baixa verde, atual cidade de João Câmara. Segundo relatos, o primeiro poço era localizado no lado de Pedro Avelino, hoje por trás do antigo Posto de Atendimento Médico de Baixa do Meio. Nesse mesmo projeto foi construida a fazenda Campo de Serra Verde, propriedade histórica do Governo Estadual.

TRANSPORTES
Os meios de transportes eram dois carros, um chamado de Mixto com três boleias e seis pneus que trafegava vindo da cidade Guamaré que ainda era pertencente a Macau e o outro uma rural, um dos donos era Luiz Martins.

FEIRAS PÚBLICAS
Antes que feira pública existisse em Baixa do Meio, era realizado na localidade "Os Corgos”, atualmente conhecido como Assentamento Belo Horizonte, geograficamente localizado no município de Pedro Avelino, tempo depois passou a ser embaixo dos pés de fícus, "onde hoje é a atual cada de Manoel Moura"
O mercado público era construído de palha. A feira era levada de Guamaré pelo senhor Severino Bernardino. A primeira feira oficial foi realizada em 04 de Outubro de 1964, nesta década foi construído o Mercado Público de Baixa do Meio. Atualmente a feira pública do distrito é conhecida como uma das maiores, e mais atrativa da região, recebendo feirantes de diversos municípios.

FONTE ECONÔMICA
Os moradores de Baixa do Meio vivem basicamente da agricultura e criação de animais, outros são comerciantes varejistas e atacadistas, também tem os que trabalham na RPCC (Refinaria Clara Camarão), e em empresas acopladas a Guamaré, parte são funcionários público municipal e os demais são trabalhadores autônomo.

DESTAQUES
Baixa do Meio destaca-se por ser um local acolhedor;
Palco de belezas naturais e de uma culinária invejável;
Um dos maiores  distritos festivos da região (destaque aos dez dias de festa do Padroeiro São Sebastião e as Vaquejadas do Parque João Pedro Filho e Parque de Vaquejada dos Amigos). 





CURIOSIDADES
As três mangueiras mais antigas do distrito data-se de mais de 80 anos, dando ênfase uma que está do lado de Pedro Avelino. A arvore foi plantada por moradores do distrito para evitar o sol quando na espera por água do poço no local, as duas últimas foram plantadas pela saudosa Maria Segunda quando ainda criança;
Parte dos moradores antigos ainda residem no distrito, são ele: Luiz de Pompilha, Luiza Mendonça, Dionísio Fonseca;
Dois distritos se correlacionam dentro um do outro dividindo-se apenas pela BR 406;
Moradora Centenária com mais de 107 anos;
Curandeira Dona Maria Mendonça;
O lobisomem que vive entre os moradores.



GASTRONOMIA
A gastronomia de Baixa do Meio é basicamente a base de produtos do campo, e são servidas em bares e restaurantes do distrito, mas o que predominam são as feijoadas e buchada de porco, e de carneiro.
Um bom aperitivo é o caldo de costela, o mesmo levanta o alto estima depois de uma noite de festa.
O doce da região é sem igual, são: doce de mamão e coco, doce de leite, e a cocada.

POPULAÇÃO
Segundo pesquisas, Baixa do Meio tem uma população de aproximadamente 5.000,00 habitantes.

ESPORTE E LAZER
Baixa do Meio chama-nos atenção à área do esporte, é uma área muito praticada pelos esportistas local, são diversas modalidades, corridas de pedestres, futebol, vôlei, caratê, capoeira, danças, skate, dentre outros.

RELIGIÃO
Baixa do Meio concentra uma grande quantidade de igrejas evangélicas protestantes, católica romanos e casas espíritas candomblé.

LAZER
Já na área do lazer, balneários e fazendas locais, para os que são apaixonados por cavalos é uma boa oportunidade visitar essas fazendas e fazer uma boa trilha com amigos e familiares.

VALORES E COSTUMES CULTURAIS
Pedir a bênção aos mais velhos; 
Refeições nas horas certas por volta das 18 ou 19 horas;
Não ouvir conversas dos mais velhos;
Ir a curandeira benzer o mal olhado;
Ir a igreja sempre aos domingos;
Idosos sentado nas calçadas conversando com os amigos;
Crianças brincando nas ruas.

BRINCADEIRAS
Tô no poço;
Esconde-esconde;
Tica tica ;
Brincadeira de rodas;
Queimadas;
Corridas;
Carrinho de rolo;
Esconde objetos.

CONCLUSÃO
Existem mais histórias a serem registradas, mas estes ainda em coleta e pesquisas. 

Direitos autorais
 As informações daqui copiadas,
devem acompanhar a fonte de pesquisa:  
do agente pesquisador, para evitar possíveis crimes de plágios.

Históriador
Ricardo da Silva Mendes

Fontes de pesquisa
Moradores antigos;
Escritora e historiadora: Maria Jandira

CRÉDITOS
Centro Cultural FJS
História em Foco 

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *